Pe. Fábio de Melo: Entre heresias e desculpas esfarrapadas


E quem diria que revmo. Pe. Fábio de Melo aprontaria mais uma das suas?! Um belo dia, ao acordar, enquanto estava se barbeando e antes de vestir suas caríssimas roupas de grife, o padre devia estar se admirando no espelho e pensando: “Poxa! Estou me sentindo abandonado pela mídia atualmente. Não sei mais o que fazer para aparecer… Ah! Já sei, sim! Vou ali na Gabi rapidinho dar uma entrevista e causar mais uns escândalozinhos!” Pois, não é possível! O cara precisa de muito planejamento (ou ser muito burro, apesar dos mestrados que o dito-cujo ostenta a seu favor!) para fazer uma patacoada tão grande com tão poucas palavras!

Me refiro – é claro! – à entrevista que o muito revdo. Padre concedeu à jornalista já há muito passada do ponto Marília Gabriela. Muitos católicos de verdade já se manifestaram sobre o petardo. Comento e recomendo brevemente, abaixo, aqueles que são mais próximos a mim.

Da Liga, como não podia deixa de ser, temos o post Padre Fábio de Melo: “foi sem querer querendo!” no blog O Catequista, escrito pela Viviane Varela. Inteligente, bem humorado e minucioso como sempre, este post contém as considerações básicas que todo católico mediano deve fazer nestas situações. Se é possível fazer apenas uma correçãozinha, é que a Viviane em certo momento, ao se referir à seguinte frase do pe. Favo de Mel: “Qual é a nossa fonte? É Jesus, a experiência dele. Teologicamente nós estamos fundamentados no Verbo que se torna carne, que passa por nós, que faz discípulos e que deixa uma Igreja”, diz que “[e]stá claro que o padre crê e afirma a origem divina da Igreja”. Viviane cumpriu com seu dever de ser caridosa com o padre, mas infelizmente não está tão claro assim, não! Acontece que o escorregadio sacerdote do Altíssimo usa – também nesta frase! – expressões típicas da heresia modernista – no caso, a experiência de Jesus”. Ora, se fosse um pessoa que já não tivesse nos brindado com tantas afirmações escandalosas, poderíamos presumir que não era o sentido modernista o empregado pelo padre nesta afirmação. Mas, justamente pelo contexto, é fácil presumir que ele tem em mente o sentido modernista destes termos. E no sentido modernista não é o “Jesus Cristo verdadeiro” (que eles chamam de “Jesus histórico”) que fundou a Igreja como sociedade visível e sim o “Jesus teológico” (o “Jesus fábula”, fruto das distorções e acréscimos feitos pelas reflexões “teológicas” acerca dos episódios da vida do “Jesus histórico”). Sim, o quando ele fala que “teologicamente estamos fundamentados no Verbo”, o termo “teologia” não está aí à toa. Outro indício de que é precisamente o sentido modernista das palavras que ele tem em mente é que em sua pseudo-retratação ele fala que “A expressão que usei no programa de ‘De frente com Gabi’, ‘Jesus queria o Reino de Deus, mas nós demos a Ele a Igreja’ é uma expressão muito usada nos bastidores acadêmicos que frequentei em minha vida, e está distante da proposta herética que ela já representou em outros tempos. O significado evoluiu. Como eu freqüento estes mesmos “bastidores acadêmicos” dos quais o padre fala, sei muito bem que ele está se referindo à tentativa reabilitação do modernismo iniciada pelos teólogos da Nouvelle Théologie e que hoje muitos professores de teologia consideram como um desenvolvimento legítimo que teria sido incorporado à teologia “oficial”. Eles só se esquecem – ou fingem se esquecer! – que o Papa Pio XII condenou esta tentativa de reabilitação na Encíclica Humani Generis. Não é porque ainda tem muito Zé-Corneta que compra essa ideia atualmente que ela deixa de ser herética…

Também da LIGA, temos o texto Quanto mal fazem à Igreja os padres untuosos!” – sobre o pe. Fábio de Melo e suas más colocações do Jorge Ferraz no blog Deus lo Vult. O Jorge, em seu texto, esclarece que não foi só uma heresia, mas três, contidas na declaração original. A saber: Igreja não é da vontade de Deus, há oposição entre “Igreja” e “Reino de Deus” e Igreja é criação humana. Com maestria, o Jorge mostra, através de passagens do Catecismo da Igreja Católica, como estas afirmações contrariam a Doutrina Católica. A saber: §§ 541, 567 e 766 do CIC e ainda o nº 52 do Decreto Lamentabili Sane Exitu. Outro destaque do texto do Jorge são as palavras do Papa Francisco falando contra padres como o pe. Fábio de Melo. Palavras que caem como uma luva e que eu reproduzo abaixo:

[Q]uanto mal fazem à Igreja os padres untuosos! Aqueles que colocam a sua força nas coisas artificiais, na vaidade.

Quantas vezes se ouve dizer, com dor: “Este é um padre-borboleta, porque há sempre vaidade nele”.

Se nos afastamos de Jesus Cristo, devemos compensar isto com outras atitudes… mundanas. E assim, há todas estas figuras… também o padre de negócios, o padre empreendedor…

[…]

É belo encontrar padres que deram a sua vida como sacerdotes, verdadeiramente, de quem as pessoas dizem: “Sim, tem esta característica, tem aquela… mas é um padre”. E as pessoas têm a intuição.

Em vez disso, quando as pessoas vêem os padres – para dizer uma palavra – idólatras, que em vez de terem Jesus têm os pequenos ídolos… pequenos… alguns até devotos do “deus Narciso”… Quando as pessoas vêem isto, dizem: “Coitado!”

“Padres-Borboleta”! Hehehe. Boa, Santo Padre! O vídeo está na postagem do Jorge.

Ainda de membros da Liga, temos o texto Católico: legalista ou jujuba? Escolha seu caminho do André Brandalise, com palavras muito pertinentes sobre a necessidade de os católicos verdadeiros – diante de palavras escandalosas como as do padre narcisista – assumirem corajosamente as pechas de “legalistas”, “bitolados”, “caçadores de hereges”, etc. Outro membro da Liga que “falou pouco, mas falou bonito” foi o Everth Oliveira, no Ecclesia Una, com o texto Um artista e suas artes em que ele coloca muito bem que “favo de mel é professor, escritor, cantor, compositor, apresentador de televisão e, por último, padre.

Há também uma quadrilogia de textos de uma pessoa que não é membro da Liga, mas que é ilustre na blogosfera católica. São os textos “Lembrança” é o c…, Fábio de Melo diz: “PEIDEI MAS NÃO FUI EU” ou “É HERESIA, MAS NÃO SIGNIFICA MAIS HERESIA”, Se eu pego pesado com os padres, vocês não viram ainda como Deus pega pesado… e O problema sou eu então? ou BANDOS DE FABETES HIPÓCRITAS!!! do Frei Clemente Rojão. Nestes textos, os destaques são a conclusão muito acertada de quer não cabe dizer que as palavras do pe. Melo foram “descontextualizadas”, pois no “conjunto da obra” é o tipo de coisa errada que ele fala sempre mesmo; e também para as imagens e ironias do Frei nos textos que expõem claramente o quanto a pífia tentativa de retratação do padre é falsa e ridícula.

Todas as coisas indicadas nos textos acima me fazem cada vez mais desconfiar que não há inocência nem ignorância nenhuma no pe. Melo: não é possível alguém ser tão avisado de seus erros e fazer questão de permanecer neles, tentando sempre embelezá-los sobre a maquiagem das palavras doces! Parece que ele faz de propósito, apostando que seus erros vão dar em nada, e depois arranja desculpinhas para tentar sair pela tangente. É um sacerdote que mancha a imagem do Sacerdote do Altíssimo, que foi ilustrada tantas vezes por gigantes como Santo Agostinho, São Tomás de Aquino, São João Maria Vianney, São João Bosco e São Pedro Canísio.

Lamentável que, apesar da celeuma que as declarações deste indivíduo causaram outras vezes, ele insista neste mesmo erro…

Anúncios

Captare Recomenda: O Catequista


Imagina se você pudesse ter assuntos e informações relevantes, linguagem leve e textos divertidos, material feito por gente com experiência em catequese, artigos sobre história da Igreja que contam a história como ela realmente aconteceu e a preocupação constante com a verdadeira ortodoxia católica tudo num mesmo lugar? Pois pode parar de imaginar. Este lugar existe: é o site O Catequista.

Há quase três anos no ar, o site O Catequista é um dos sites mais acessados da blogosfera católica brasileira. Sua equipe é formada pelo casal Alexandre Varela (o Catequista) e Viviane Varela (a Catequista), mais o historiador Paulo Ricardo Costa e o webdisgner Ricardo. Só para termos idéia de com quem estamos lidando, o Alexandre foi o responsável pelo Media Center da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. Esses caras não são amadores!

Os artigos do site são feitos com uma linguagem voltada principalmente para os jovens e são cheios de referências divertidíssimas ao mundo nerd e aos conteúdos que fazem sucesso na internet. Mas isso não impede que os artigos sejam feitos com profundidade e correção doutrinária. Como vocês devem imaginar, juntar todas essas coisas no mesmo lugar é a receita da polêmica: as discussões rolam soltas nos comentários, e os leitores podem crescer muito com o debate. A postagem sobre tatuagens já está com 184 comentários! E isso, fora os que foram excluídos por serem impróprios.

Os destaques ficam para os textos de apologética (como o mencionado sobre tatuagens) e para os textos de História da Igreja escritos pelo Paulo, como os da série Os Papas. Outro destaque fica para última ideia genial dessa galera foi juntar vários blogueiros em um programa ao vivo pela internet que foi chamado de Liga dos Blogueiros Católicos.

Este projeto foi, na verdade, uma digievolução do Catecast, podcast feito pela equipe do blog falando dos assuntos mais polêmicos tratados no blog. Depois das primeiras edições do Catecast, eles começaram a convidar outros blogueiros católicos pra participar e como era difícil reunir o pessoal no mesmo lugar para gravar o podcast, a coisa começou a ser feita por audioconferência via Skype. Quando eles fizeram os Catecasts – Plantão da JMJ, o Bruno Linhares me indicou para participar. Depois destas participações, não sei por que cargas d’água eles nunca me expulsaram, e eu fui incluído no chat dos participantes do Catecast. O desenvolvimento natural foi colocar o pessoal em vídeo conferência num programa ao vivo. Para assistir os programas passados da Liga, basta visitar o Canal da Liga no Youtube.

Este é o primeiro artigo de uma série de artigos que serão escritos para divulgar os blogs e as fanpages participantes da liga. O Campo de Batalha procurará ser a referência quando alguém quiser saber de que trata cada participante da liga, a qual deles recorrer quando alguém tiver alguma dúvida. Basta clicar na tag Liga dos Blogueiros Católicoslogo abaixo para ver quais participantes já foram recomendados e comentados.

Divirta-se e informe-se com O Catequista e a Liga dos Blogueiros Católicos!

PLC 122, Papa “personalidade gay” do ano e adoção

No blog Fratres in Unum há duas postagem que tratam de assuntos abordados no último programa da Liga dos Blogueiros Católicos. A primeira (leia aqui), postada ontem, fala da, por assim dizer, “extinção” do PLC 122, projeto de lei que tinha o objetivo de criminalizar a homofobia, por mais vago e subjetivo que isso fosse. No programa da Liga procuramos explicar todas as impiedades e armadilhas contidas neste projeto. No blog O Catequistaum alerta quanto a essa questão: o projeto foi extinto enquanto projeto solto, por que os responsáveis acreditam que podem inserir o conteúdo do projeto na reforma do Código Penal, que já está em andamento. Ou seja, faço minhas as palavras da Viviane Varela (destaques meus):

“E mesmo que sejamos muito vigilantes ainda existe uma outra estratégia possível: deixar o texto do Código Penal genérico o suficiente para conseguirem reinterpretações no STF, como foi feito com o Aborto e a União Civil Homossexual.

Antes era guerra… agora virou guerrilha!”

A segunda postagem (leia aqui) do Fratres fala da escolha pela revista Advocate (revista do lobby gay) do Papa Francisco como pessoa mais influente de 2013, único na vida das pessoas LGBT. Este assunto se relaciona com a escolha do Papa, pela revista Time, como personalidade do ano. No programa explicamos que a mídia está bajulando o Papa porque está iludida, achando que o Papa irá fazer uma revolução na Igreja, tornando-A um mero clube de pessoas sentimentais, sem regras morais, onde reina o mais absoluto relativismo. Agora, o movimento gayzista bajula o papa também. Meu comentário a respeito disso é: é óbvio que a mídia liberal e o movimento gayzista estão enganados em relação à postura do Papa. Mas é uma grande pedra de tropeço que o Papa seja elogiado por inimigos declarados da Cruz de Cristo. Os papas do passado se preocupavam muito mais com essa questão. Infelizmente, desde João XXIII, parece absurdo sugerir que a Igreja tenha inimigos e que, se eles estão gostando da ação das autoridades eclesiásticas, isso não é um bom, mas um péssimo sinal. Não custa lembrar que o quando o Papa Paulo VI morreu, ele foi elogiado pela maçonaria, que sempre teve entre seus planos destruir a Santa Liturgia da Igreja. De fato, um dos principais problemas que a Igreja enfrenta hoje em dia são os abusos litúrgicos, que ofendem a Deus e enfeiam o culto público da Santa Mãe Igreja, e os que cometem esses abusos o fazem alegando estar realizando a reforma litúrgica idealizada e iniciada por Paulo VI.

***

Ainda falando sobre temas tratados no programa da liga, lá foi comentado que a União Européia rejeitou definir o aborto como um direito humano. Uma das acusações dos abortistas é que nós que somos contra o aborto não pensamos no sofrimento da mãe, que seria obrigada a criar uma criança que ela não quer, e da criança, que cresceria num ambiente que a rejeita. Mas, como quase tudo o que os abortistas dizem, isso é mentira! Nós que somos contra o aborto, propomos como alternativa a adoção de crianças, mesmo por casais com filhos biológicos. O meu irmão Bruno Linhareso Andarilho – e sua esposa estão passando pelo processo de habilitação para a adoção. A última postagem no blog O legado do Andarilho trata desse assunto. Leiam e reflitam sobre isso.

Quem sabe você não se convence a salvar uma ou mais crianças do aborto?