Pe. Fábio de Melo: Entre heresias e desculpas esfarrapadas


E quem diria que revmo. Pe. Fábio de Melo aprontaria mais uma das suas?! Um belo dia, ao acordar, enquanto estava se barbeando e antes de vestir suas caríssimas roupas de grife, o padre devia estar se admirando no espelho e pensando: “Poxa! Estou me sentindo abandonado pela mídia atualmente. Não sei mais o que fazer para aparecer… Ah! Já sei, sim! Vou ali na Gabi rapidinho dar uma entrevista e causar mais uns escândalozinhos!” Pois, não é possível! O cara precisa de muito planejamento (ou ser muito burro, apesar dos mestrados que o dito-cujo ostenta a seu favor!) para fazer uma patacoada tão grande com tão poucas palavras!

Me refiro – é claro! – à entrevista que o muito revdo. Padre concedeu à jornalista já há muito passada do ponto Marília Gabriela. Muitos católicos de verdade já se manifestaram sobre o petardo. Comento e recomendo brevemente, abaixo, aqueles que são mais próximos a mim.

Da Liga, como não podia deixa de ser, temos o post Padre Fábio de Melo: “foi sem querer querendo!” no blog O Catequista, escrito pela Viviane Varela. Inteligente, bem humorado e minucioso como sempre, este post contém as considerações básicas que todo católico mediano deve fazer nestas situações. Se é possível fazer apenas uma correçãozinha, é que a Viviane em certo momento, ao se referir à seguinte frase do pe. Favo de Mel: “Qual é a nossa fonte? É Jesus, a experiência dele. Teologicamente nós estamos fundamentados no Verbo que se torna carne, que passa por nós, que faz discípulos e que deixa uma Igreja”, diz que “[e]stá claro que o padre crê e afirma a origem divina da Igreja”. Viviane cumpriu com seu dever de ser caridosa com o padre, mas infelizmente não está tão claro assim, não! Acontece que o escorregadio sacerdote do Altíssimo usa – também nesta frase! – expressões típicas da heresia modernista – no caso, a experiência de Jesus”. Ora, se fosse um pessoa que já não tivesse nos brindado com tantas afirmações escandalosas, poderíamos presumir que não era o sentido modernista o empregado pelo padre nesta afirmação. Mas, justamente pelo contexto, é fácil presumir que ele tem em mente o sentido modernista destes termos. E no sentido modernista não é o “Jesus Cristo verdadeiro” (que eles chamam de “Jesus histórico”) que fundou a Igreja como sociedade visível e sim o “Jesus teológico” (o “Jesus fábula”, fruto das distorções e acréscimos feitos pelas reflexões “teológicas” acerca dos episódios da vida do “Jesus histórico”). Sim, o quando ele fala que “teologicamente estamos fundamentados no Verbo”, o termo “teologia” não está aí à toa. Outro indício de que é precisamente o sentido modernista das palavras que ele tem em mente é que em sua pseudo-retratação ele fala que “A expressão que usei no programa de ‘De frente com Gabi’, ‘Jesus queria o Reino de Deus, mas nós demos a Ele a Igreja’ é uma expressão muito usada nos bastidores acadêmicos que frequentei em minha vida, e está distante da proposta herética que ela já representou em outros tempos. O significado evoluiu. Como eu freqüento estes mesmos “bastidores acadêmicos” dos quais o padre fala, sei muito bem que ele está se referindo à tentativa reabilitação do modernismo iniciada pelos teólogos da Nouvelle Théologie e que hoje muitos professores de teologia consideram como um desenvolvimento legítimo que teria sido incorporado à teologia “oficial”. Eles só se esquecem – ou fingem se esquecer! – que o Papa Pio XII condenou esta tentativa de reabilitação na Encíclica Humani Generis. Não é porque ainda tem muito Zé-Corneta que compra essa ideia atualmente que ela deixa de ser herética…

Também da LIGA, temos o texto Quanto mal fazem à Igreja os padres untuosos!” – sobre o pe. Fábio de Melo e suas más colocações do Jorge Ferraz no blog Deus lo Vult. O Jorge, em seu texto, esclarece que não foi só uma heresia, mas três, contidas na declaração original. A saber: Igreja não é da vontade de Deus, há oposição entre “Igreja” e “Reino de Deus” e Igreja é criação humana. Com maestria, o Jorge mostra, através de passagens do Catecismo da Igreja Católica, como estas afirmações contrariam a Doutrina Católica. A saber: §§ 541, 567 e 766 do CIC e ainda o nº 52 do Decreto Lamentabili Sane Exitu. Outro destaque do texto do Jorge são as palavras do Papa Francisco falando contra padres como o pe. Fábio de Melo. Palavras que caem como uma luva e que eu reproduzo abaixo:

[Q]uanto mal fazem à Igreja os padres untuosos! Aqueles que colocam a sua força nas coisas artificiais, na vaidade.

Quantas vezes se ouve dizer, com dor: “Este é um padre-borboleta, porque há sempre vaidade nele”.

Se nos afastamos de Jesus Cristo, devemos compensar isto com outras atitudes… mundanas. E assim, há todas estas figuras… também o padre de negócios, o padre empreendedor…

[…]

É belo encontrar padres que deram a sua vida como sacerdotes, verdadeiramente, de quem as pessoas dizem: “Sim, tem esta característica, tem aquela… mas é um padre”. E as pessoas têm a intuição.

Em vez disso, quando as pessoas vêem os padres – para dizer uma palavra – idólatras, que em vez de terem Jesus têm os pequenos ídolos… pequenos… alguns até devotos do “deus Narciso”… Quando as pessoas vêem isto, dizem: “Coitado!”

“Padres-Borboleta”! Hehehe. Boa, Santo Padre! O vídeo está na postagem do Jorge.

Ainda de membros da Liga, temos o texto Católico: legalista ou jujuba? Escolha seu caminho do André Brandalise, com palavras muito pertinentes sobre a necessidade de os católicos verdadeiros – diante de palavras escandalosas como as do padre narcisista – assumirem corajosamente as pechas de “legalistas”, “bitolados”, “caçadores de hereges”, etc. Outro membro da Liga que “falou pouco, mas falou bonito” foi o Everth Oliveira, no Ecclesia Una, com o texto Um artista e suas artes em que ele coloca muito bem que “favo de mel é professor, escritor, cantor, compositor, apresentador de televisão e, por último, padre.

Há também uma quadrilogia de textos de uma pessoa que não é membro da Liga, mas que é ilustre na blogosfera católica. São os textos “Lembrança” é o c…, Fábio de Melo diz: “PEIDEI MAS NÃO FUI EU” ou “É HERESIA, MAS NÃO SIGNIFICA MAIS HERESIA”, Se eu pego pesado com os padres, vocês não viram ainda como Deus pega pesado… e O problema sou eu então? ou BANDOS DE FABETES HIPÓCRITAS!!! do Frei Clemente Rojão. Nestes textos, os destaques são a conclusão muito acertada de quer não cabe dizer que as palavras do pe. Melo foram “descontextualizadas”, pois no “conjunto da obra” é o tipo de coisa errada que ele fala sempre mesmo; e também para as imagens e ironias do Frei nos textos que expõem claramente o quanto a pífia tentativa de retratação do padre é falsa e ridícula.

Todas as coisas indicadas nos textos acima me fazem cada vez mais desconfiar que não há inocência nem ignorância nenhuma no pe. Melo: não é possível alguém ser tão avisado de seus erros e fazer questão de permanecer neles, tentando sempre embelezá-los sobre a maquiagem das palavras doces! Parece que ele faz de propósito, apostando que seus erros vão dar em nada, e depois arranja desculpinhas para tentar sair pela tangente. É um sacerdote que mancha a imagem do Sacerdote do Altíssimo, que foi ilustrada tantas vezes por gigantes como Santo Agostinho, São Tomás de Aquino, São João Maria Vianney, São João Bosco e São Pedro Canísio.

Lamentável que, apesar da celeuma que as declarações deste indivíduo causaram outras vezes, ele insista neste mesmo erro…

3 opiniões sobre “Pe. Fábio de Melo: Entre heresias e desculpas esfarrapadas

  1. EIS O DIRETOR ESPIRITUAL DA CANÇÃO NOVA-CN CONDUZENTE DOS INCAUTOS PARA SODOMA E GOMORRA, VULGO PE FABIO DE MELO!
    Intrigante: porque a Canção Nova-CN depois muitos anos de tantas peripécias teológicas ainda o mantém em seus quadros como suposto diretor espiritual, apesar de comprovados comportamentos heréticos? Haveria um lobby muito forte ou então a CN compartilharia de comum acordo…
    Quem é seu bispo ou superior congregacional para o advertir publicamente e o afastar, se for o caso, há tempos?
    Bem verdade que a CN é muito estranha, além do acima: é recorrente praticante do pentecostalismo protestante, realizava ações anti litúrgicas como danças em frente ao SS Sacramento; também possuía em seu quadros o Edinho do PT, o controverso amigão do pe Marcelo Rossi o RCCista Chalita e ambos foram despedidos pelos contribuintes da CN e pressão dos grupos RCCs.
    Acredito que ele não passe de um relativista a mais pastor protestante de uma neo seita, dissimulando-se sacerdote católico e, ao referir-se sem detalhar ao um certo “Bastidores teológicos”, se suspeitaria de ele ser fantoche de certos terráqueos que o teriam como um a mais para relativizar a rígida doutrina da Igreja em um emotivista e sentimentaloide ensinamento religioso cristão, nada mais, características pré anunciadas por Nossa Senhora em La Salette e outras aparições, de típicos enganadores e falsos profetas que apareceriam nos tempos do fim, do estilo Fábio de Melo, o qual não acredita na Eucaristia, não quer a devoção mariana da forma atual que considera fora dos padrões – pior que Lutero – e não tem tempo de celebrar missas!…
    Em 2012 deu um show numa festa do PT, em Brusque, S Catarina e faltaria pouco para montar sua igrejinha particular…

    • A Canção Nova nada mais é do que um punhado de farsantes que, em nome de Cristo e de Nossa Senhora, tentam a todo custo faturar com a venda de CDs e DVDs profanos mais e venda de livros de qualidade teológica duvidosa. De igual movo, promovem “acampamentos” de cura e libertação, proibidos pela Igreja, na tentativa de angariar fundos para enriquecer uma dúzia de espertalhões, tais como Eto, Dunga, Felipe Aquino, Ricardo Sá, Jonas Abib, dentre outros. O que melhor sabem fazer, além de denegrirem a imagem da Igreja, é pedir dinheiro para continuar a “evangelizar”. A Canção Nova não é a infiltração protestante na Igreja, pois a Canção Nova não é a Igreja. Na verdade a Canção Nova é a mão de satanás, disposta a enganar e seduzir os fiéis menos esclarecidos e mais fracos na fé.

  2. “Ainda que os católicos fiéis a TRADIÇÃO se reduzam a um punhado, são eles a VERDADEIRA Igreja de Jesus Cristo.”
    (Santo Atanásio Pitoresco, rogai pelos pitorescos.. )!!!

    Venho por meio deste expressar meu sentimento de repúdio ao programa “Em Frente”no qual foram feitos comentários descabidos à respeito da Santa Missa Tridentina, ao piedoso uso do véu por parte das mulheres e a tradição da Santa Igreja. Um programa de tv, em uma emissora de tv, que se diz católico deveria conhecer melhor as tradiçoes da Igreja. Padres que se dizem padres, deveriam conhecer melhor o CDC, o CIC, etc. Padres muito pouco zelosos que caçoam de verdadeiros pastores… Usam de mentiras descabidas, maldosas e desonestas pra justificar seus achismos. Onde foi que Bento XVI disse que padre que celebra Missa tridentina não pode ser pároco? Graças a Deus Pela Administração Apostólica Pessoal S. João Maria Vianney de Campos dos Goytacazes, pelos seus Padres zelosos, Padres que são PÁROCOS, que permanecem obedientes as tradiçoes da igreja, que permanecem obedientes ao verdadeiro espírito do CVII. Senhor Dai-nos Sacerdotes. Senhor Dai-nos Santos Sacerdotes. São João Maria Vianney, rogai por nós. Mãe da Igreja, intercedei pela Santa igreja, pelos Padres e fiéis.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s