A Bondade de Deus

Um anônimo que se identificou apenas como “pe no chão (sic), postou o seguinte comentário:

deus de judiação,permite que pecamos para nos torturar nas mãos de seu filho satanas,se para deus somos todos iguais então porque existe tanta desigualdade social nesta merda de mundo imundo

se este reino não lhe pertence porque colocou o diabo vivendo com o ser humano?

feliz da pessoa que não tenha nascido.
nesta merda de livre arbitro

Antes de responder a este comentário de mais um “corajoso” anônimo, é bom fazer alguns comentários sobre como aceitar a existência de um Deus infinitamente bom em meio a tanto mal no mundo, seja ele físico (ou emocional) ou moral.

Na verdade, este não é nem um problema difícil de se resolver. Tanto que é uma das primeiras coisas que se aprende em Teodicéia, que é a teologia feita apenas com os dados que a razão alcança, ou seja, antes mesmo de entrarmos nas grandes questões que são respondidas pela Revelação. A Teodicéia é como que um preâmbulo da Teologia. Pode-se dizer vulgarmente que não é ainda “Teologia de verdade”. E mesmo assim, responde facilmente a questão Deus infinitamente bom X existência do mal. O problema é que o homem moderno é muito sentimentalóide, e o sentimentalismo distrai a mente do homem a ponto de ele não atinar nem mesmo para a solução dos problemas mais simples.

Primeiro, é de se notar que, diante de Deus, o homem não tem direito nenhum! Isso mesmo! Deus não tem obrigação nenhuma para conosco, seja de nos dar a vida, seja de conservá-la por muito tempo, seja de fazê-la próspera e tranqüila. Não temos direito a nada disso. Se isso acontece com alguns de nós (muitos de nós, na verdade), é por pura bondade de Deus. Pura misericórdia.

Segundo, coisas boas e coisas ruins acontecem com quem merece e com quem não merece. As razões para que Deus permita acontecer coisas ruins com quem acha que não merece são várias: ou a pessoa apenas acha que não merece, mas ainda tem penas temporais a serem purificadas; ou Deus está provando a fé daquela pessoa; ou está pondo à prova a caridade daqueles que tomam conhecimento do mal sofrido por essa pessoa. De qualquer modo, um bem será tirado do mal que esta pessoa está sofrendo. A sabedoria é a virtude que ajuda a enxergar este panorama mais amplo e, por isso, quando alguém se queixa muito de seus problemas isto é um sinal de pouca sabedoria.

Respondendo, então, ao nosso anônimo revoltadinho:

  • Não chame Deus de “deus de judiação”. Isto é blasfêmia, e blasfêmia é um pecado gravíssimo. Se Deus não merece nem nossos pecados menos graves, que dirá os mais graves! Não se jogue voluntariamente nesta teia de condenação e pena, que é só você que sai perdendo com isso…
  • Deus não tortura ninguém e nem quer diretamente o que satanás faz de mal a nós. Só permite. Pelas razões explicadas acima.
  • Existem vários tipos de igualdade. Todos somos iguais no sentido que todos temos a mesma natureza humana. E todos os homens precisam da salvação de sua alma. Neste sentido, Deus dá graças suficientes para todos os homens. Agora, o fato de todos serem humanos não implica em todos serem ricos ou felizes. Deus ama a todas as suas criaturas. Mas não ama a todas do mesmo modo. Se ele diferenciou tanto suas criaturas mais inferiores, como o leão e a corça, que dirá suas criaturas de nível mais superior. Até mesmo entre seus apóstolos teve um que ele amou mais! A desigualdade é um bem em si mesma, pois o bem é diferente do mal e os dois são diferentes de um estado neutro. Sem a desigualdade, tudo seria igual e nada seria efetivamente bom.
  • Há alguns anos atrás eu também pensava que o livre arbítrio era um problema. Mas com o tempo eu percebi que isso era apenas resultado de um raciocínio débil. Quando se reflete racionalmente sobre o problema do livre arbítrio se percebe coisas interessantes. Sem o livre arbítrio não existiria o amor. Sem o livre arbítrio não existiriam méritos. Sem o livre arbítrio não existe alma humana. E sem o livre arbítrio não existe semelhança com Deus. Remover o livre arbítrio é remover isto tudo. É um preço muito alto a se pagar pelo benefício aparente da inexistência do pecado daqueles que causam as injustiças entre os homens.

Portanto, caríssimos, não há dúvidas de que Deus é bom e de que tanto o livre arbítrio quanto a desigualdade sejam bens em si mesmos.  O que há é a arrogância do homem moderno acostumado com bobagens como “direitos dos animais”, “direitos dos homossexuais”, etc., a ponto de achar que o homem tem algum direito de ser bajulado por Deus.

8 opiniões sobre “A Bondade de Deus

  1. Muito bem colocados todos os pontos, caro irmão.
    Não obstante o “arruaceiro” tenha usado de português deficiente para assacar vilezas pífias, soubeste aproveitar o gancho para o bem objetivo.
    Torço para que a pessoa retorne, leia e até mesmo debata(-se)..

    Paz e Bem.

    • Obrigado, caro irmão.

      Não sei se você reparou, mas tem um pouco das nossas antigas discussões, lá no final, sobre a questão do livre arbítrio.

      Também espero que o anônimo volte, pelo menos para repensar sua revolta. Mas é bem difícil. Muitos deles nunca voltam.

      Pax

  2. procurei justiça em meio a covardia que os meu colegas de trabalho passavam,mas vi que “deus disse que não existe um justo sequer”me dei contas que “livre arbitro”e quando um ser escolhe pecar um não,(o intereçante e que o diabo sempre dar uma forcina),eu pequei então sõ escravo do pecado,fui um otario procurei justiça em um mundo em que 2duas forcas governam,hojem tenho disprezo daqueles que eu tentei ajudar pois nenhum tiveram coragem de infrentar a injustiça que o patrão o fazia (e agora estou só)eu deveria saber que antes de eu nascer o mundo sempre foi assim.

  3. vi um bebado apanhando por tres seguranças,tentei ajudar e acabei sendo torturado 4vezes a mais-na frente de 500 pessoas,ninguem fez nada. quando fiz um b.o ,riram de mim,a policia estava batendo em um morador fui la e o defendi,quando aprontaram algo um pouco parecido comigo,todos se esconderam,quando um segurança me agrediu e me chamou de ladrão do nada,vi depois um homem me dissendo:deus iria fazer alguma coisa,ate hoje não vi deus fazendo justiça algunha,outra vez 4homem iam matar 1 com varias facadas eu o defendi.se eu acreditasse nesta verdade“não existe um justo sequer”talvez eu não estaria sendo chamado de aruaceiro ou otario.espero que nunca voce esteja em uma pior pois não vou querer te ajudar pois ja paguei muinto caro.que jesus tenha pena de mim.

  4. foi minto doloroso relembrar isso tudo,mas apredi que tentar ajudar os outro e ser chamado de ciotado ou otario,esta e a solução que encontrei para não ofender deus e não falar sobre forças espirituais,quando alguem me pede ajuda eu “digo não posso te ajudar”

    • Prezado Pé no Chão, Laudetur Dominus!

      Em primeiro lugar, desculpe a demora em responder. Tenho esposa, trabalho e faculdade e por isso acaba demorando mais do que eu gostaria para responder às mensagens.

      Eu compreendo que você já tenha passado por muito sofrimento, e que tenha sido vítima de injustiças. Mas parece que você não entendeu a mensagem. O verdadeiro cristianismo não se trata de acabar com o sofrimento, e sim dar um sentido ao sofrimento.

      Você não viu a Justiça de Deus porque não é isso que você está procurando. Você está procurando apenas uma compensação pelo que você sofreu. Só que a Justiça de Deus é maior do que o que acontece comigo e contigo. Agora mesmo eu estou passando por certas situações que eu sei que são injustas. Mas eu vejo a Justiça e a Misericórdia de Deus em outras situações. Quando penso na esposa que Deus me deu e na que ele deu ao meu irmão, poe exemplo, eu vejo como Deus é bom! Mas ele não faz todos os bens, a todas as pessoas, durante todo o tempo. Se tudo fosse bem, não haveria nenhuma diferença entre o bem e o mal, e as pessoas não perceberiam o bem que receberam.

      Outra coisa, quando você fizer o bem, vai acontecer muitas vezes de ser tratado mal. Isso não é uma prova da Injustiça de Deus e sim da injustiça do mundo, para a qual Deus é o remédio. Você não deve buscar recompensas aqui na terra para todas as boas ações que fizer. Aliás, deve esperar justamente incompreensão. O que você deve fazer é agradecer pelas recompensas que por acaso receber já nessa vida: elas não são a regra, são a excessão.

      Deixe a amargura de lado e você verá que Deus é bom.

      Se quiser, me deixe o seu primeiro nome (não me dê seu sobrenome! só o primeiro nome) e eu vou passar a rezar por você todas as noites, para que lhe seja feita justiça.

      Pax et Salutis

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s