Dom Rifan e o Pe. Fábio “Playboyzinho” de Mello

Como eu já deixei indicado algumas vezes aqui, não é em tudo que eu concordo com os tradicionalistas. Um destes assuntos pontuais, nos quais temos nossas divergências é Dom Fernando Areas Rifan, ordinário da Administração Apostólica São João Maria Vianney. Ele é visto por alguns tradicionalistas como um traidor da causa Dom Castro Mayer (“Você traiu o movimento, véio! O movimento tradicionalista!”).

A despeito desta pequena piadinha, não há nada com o que brincar quanto à causa de Dom Castro Mayer – que foi um grande aliado de Dom Lefebvre – em si. Mas considero um tanto exagerado dizer que D. Rifan seja um traidor. Diria que D. Rifan é apenas pragmático e, se ele transige em certas coisas, o faz para evitar que a resistência contra a postura tradicional – que já é enorme – aumente ainda mais.

E eu tiro meu chapéu para D. Rifan (apesar de eu não usar nenhum), principalmente em ocasiões como a desta entrevista em que – Sim, concordo! – ele poderia ter sido muito mais incisivo na defesa da Fé católica contra esses “padres” de picadeiro, mas que ele não deixa de dizer coisas verdadeiras. A parte que nos interessa é aos 1 minuto e 47 segundos do vídeo, em que D. Rifan diz que o Pe. Fábio de Melo, o “padre de R$ 9,90”, se veste como um playboyzinho.

Eu demorei muito a postar algo sobre o Pe. Melo aqui no Battle Site. E em grande parte isto se deve ao nível de irracionalidade alcançado por aquelas pessoas que insistem em defendê-lo a despeito de todos os seus claríssimos erros, contra a Doutrina Cristã e contra o bom senso moral. As provas do quanto essas pessoas podem ser irracionais vocês podem encontrar no blog do Apostolado Veritatis Splendor aqui e aqui. E também, e com insultos muito mais graves, no blog In Prælio aqui, aqui e aqui.

Mas o caso é que aqueles que o defendem gostavam muito de se esconder atrás do nefasto adágio: “Você é leigo! Não pode criticar um padre!” Mesmo que isso fosse verdade, agora nem mesmo esta desculpa é válida, pois Dom Rifan, além de ministro ordenado, é bispo!

Ora, o que falta ainda para que estas pessoas, tietes do “padre de R$ 9,90”, acordem e vejam o quanto o Pe. Fábio “playboyzinho” de Melo se afasta da proposta de Nosso Senhor Jesus Cristo? O que falta para estas curiosas criaturinhas perceberem que, se a batina não é suficiente para fazer um padre, ela pelo menos é um sinal claro que o distingue claramente de um mero cantor de boate, já que nem mesmo o discurso do Pe. Melo é capaz de distinguí-lo daquele cantor? O que falta para estes cupins de celebridades perceberem a gravidade do nosso tempo, que exige verdadeiros e santos sacerdotes, e não simples psicólogos com lábios de mel que receberam por acaso um Sacramento da Ordem?

Enfim, estou à espera de respostas a estas singelas perguntas. Ah, sim! E à espera das pedradas costumeiras, que são desferidas toda vez que o nome do “padre de R$ 9,90” é mencionado. Afinal, quem está na chuva é para se molhar…

28 opiniões sobre “Dom Rifan e o Pe. Fábio “Playboyzinho” de Mello

    • Prezado Icaro (sério que é sem acento mesmo?), Laudetur Dominus!

      Seja bem-vindo ao Battle Site!

      Antes de começarmos só um aviso: verifique seu teclado. Eu acho que você esqueceu a tecla Caps Lock acionada…

      Quanto rancor no seu coração, pequenino!🙂

      Não sei porque você achou que eu não teria coragem de publicar seus comentários. Só porque é uma reação irracional, injusta e cheia de ódio??? Ora, é exatamente por isso que eu publico ela! Ela só prova que eu tenho razão quanto aos defensores do Pe. Melo.

      Essa história de que quem critica o Pe. Melo é invejoso não faz o menor sentido. Não entendo por que tem tanta gente que diz isso. E isso de “se ocupar de coisas que poderão acrescentar, somar” é outro slogan fajuto que não faz sentido algum. Se você respirar um pouco e pensar com a razão, verá que você me aconselha na prática a colocar no mesmo lugar coisas incompatíveis, como o certo e o errado, e agir hipocritamente como se estivesse tudo bem. Este é o verdadeiro sentido de “se ocupar de coisas que poderão acrescentar, somar”. Não fica tão bonito quando ele é esclarecido, não é mesmo?😉 Fica mais bonito como slogan mesmo…

      Além do mais, Nosso Senhor Jesus Cristo não concorda com você quando diz que “[de gente] para dividir o mundo está cheio”, pois foi o Nosso Senhor mesmo quem disse: “Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada.”(Mt X:34)

      Quanto às ofensas pessoais que você dirigiu a mim (“invejoso”, “despeitado”, “palhaço”), eu te perdôo, pois você não sabe o que diz. Afinal, você nem me conhece. Pensando bem, minha esposa me chama de “palhaço” muitas vezes…😉

      Volte sempre que quiser e dê sua opinião, pois a divergência dentro do espírito de caridade é sempre muito saudável.

      Pax et Salutis

  1. Se enganou Ícaro. Ele publicou. Por que não argumentou baseados em dados consistentes a fidelidade doutrinal do Padre Fábio de Melo? Este tipo de resposta são de pessoas que não sabem o que ou quem estão a defender.

  2. Você é invejoso! Só porque o Padre é bonito e você é feio! Vai procurar uma namorada!!! Bobo!

    Calma calma que não verei Fabete! Foi só uma brincadeira! kkk

    Mas, brincadeiras a parte, não espere mais que isso, pois esses são os grandiosos argumentos deles, ta ai o Ícaro para provar!

    Pax et bonvs!

    • Caríssimo Jefferson, Laudetur Dominus!

      Hehehe…. E acho que você, melhor do que muita gente, sabe o quanto eles podem ser “grandiosos”, pois você teve que aturar muitos deles no seu blog!😉

      Os links tão aí no artigo para quem quiser conferir…

      Pax et Salutis

    • Prezada Tereza, Laudetur Dominus!

      Seja bem-vinda ao Battle Site!

      O debate com os protestantes não impede que nós tratemos daqueles que estão no erro dentro da nossa Igreja. Sempre foi assim. Os padres apologistas, por exemplo, escreveram tanto para os pagãos, quanto para os judaizantes e os hereges gnósticos. E isto lááá no começo da Igreja. E São Pio X nos alertou na Carta Apostólica Pascendi Dominici Gregis que devemos combater com vigor os inimigos que se encontram dentro da Igreja também! Pois estes são tão ou mais perigosos do que aqueles que estão fora.

      Mas você está chegando agora no meu humilde espaço e talvez não saiba que eu mesmo debato com protestantes quando isto se faz necessário. Você pode ver isto nesta postagem ou neste comentário. Eu também faço parte de um blog dedicado à apologética e já respondi comentários de protestantes e outros não-cristãos que de vez em quando mostram a cara por lá.

      Mas o caso do blog que você indica, já tem bastante gente com opiniões bem ortodoxas defendendo a Igreja lá. O problema é que lá tem muitas mensagens, muita confusão. Então a gente pode até contribuir com uma mensagem relevante, mas acaba ficando diluída no meio da feira de mensagens boas e ruins e, assim, acaba não tendo o efito que devia. Se você conhece algum protestante – ou alguns – em particular e quiser apoio para debater com eles eu posso te ajudar, pois tenho muitos amigos Católicos e fontes sobre Doutrina Cristã. Ou você pode, se preferir, pedir que eles me procurem no e-mail do site.

      Você tem razão quando diz que devemos nos envolver mais com o debate com os hereges protestantes. Apenas peço que tome cuidado para não pensar, por estarmos falando do pe. Melo num artigo em especial, que só fazemos isso e não debatemos com protestantes. E também peço que leve em consideração o fato de que não devemos relaxar com aqueles que estão no erro dentro da Igreja, pois – e isto você pode conferir no Catecismo – corrigir os que erram é uma obra de misericórdia.

      Pax et Salutis

    • Caríssimo Francisco, Laudetur Dominus!

      Não é impressão sua: o Altar Cristão está desatualizado.🙂 Isto acontece porque o Nelson Monteiro, que é o fundador e principal autor de artigos para o site, está estudando para o vestibular.

      As comparações entre os Catecismos estão paradas, mas não “pararam” (hehehe…). Elas apenas estão demorando mais do que eu nós gostaríamos. Assim como o comentário que eu prometi às suas considerações sobre o Mitraísmo. Este último está para sair. Mas a segunda parte da comparação ainda deve demorar um pouquinho.

      Pax et Salutis

  3. Prezado Captare, Salve Maria!

    Boa postagem. Só tente fazer o seguinte: faça uma postagem sobre o lado ‘bom’ (?) do Padre Fábio, mesmo que seja sobre as doenças psicossomáticas [??], assim ngm poderá acusá-lo de perseguição ao Padre [???]. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    [:D]

    Não sei se vc viu no meu blog, mas tem o link de uma palestra de um carismático na CN, onde ele detona com os ‘Padres Pop’s’. Então, a coisa tá feia mesmo, kkkkkkkkkkk

    D. Rifan é um tradicionalista. De fato, ele defende e faz uso das disciplinas e das doutrinas pré-conciliares, e acredito que é isto que define o tradicionalista. Algumas dissindências tradicionalistas da FSSPX estão na mesma situação que a AASJMV. E nada tem a ver com o caso de D. Castro Mayer.

    Vou criar um tópico com esse seu texto em uma comunidade do Orkut, vamos ver o que acontece. Será que as fabetes vão chilicar?

    Paz e Bem!

  4. Olá, Ikaro.

    Longe de querer defender o Pe Fabio de Melo, mas sim argumentando sobre o que vejo por ai a respeito dele. (a propósito, sou GRANDE admiradora do sacerdote, cantor, compositor, professor….)

    O Bispo que citou na entrevista ressaltou tantos pontos positivos qt os negativos. Fico com pena dos que vestem a camisa do “tradicionalismo” em teimarem em só ver o lado ruim. Pe Fabio,como qqr outro padre, é homem, antes de ser padre e erra tanto qt eu, vc , o bispo ou outros padres. Concordo no ponto em q ele toma posicionamento polêmicos (muitos desses em q eu sou a favor e faço coro junto com ele)para tanto, me retiro, infelizmente, da condição de católica proposta pelos q prezam pela tradição. Não me sinto desfavorecida, pois tenho pleno conhecimento do meu relacionamento com Deus, e não tenho dúvidas sobre o amor dele por mim, mesmo não concordando com a Igreja Catolica (Santa -divina – e pecadora – humana).

    O que eu acho lamentável de tudo isso, é a forma agressiva como esses sites e o seu artigo remete-se ao trabalho do Padre Fabio de Melo. Concordo totalmente com um comentário um pouco a cima q diz q devemos agregar, pq para a divisão temos vários eixos. Infelizmente a MINHA querida Igreja católica ainda exista tantas pessoas q em nome da sã doutrina, deixam os valores totalmente de lado, lembrando os muçulmanos (claro q nas devidas proporções) na busca pelo reino do céu, matam em nome daquele que deu a vidaNa nossa Igreja, “mata-se” por palavras, mata-se pelo não acolhimento, mata-se pela briga de egos para saber quem mais entende da doutrina, mata-se pelo orgulho….

    Defenderei eternamente o seu direito de protestar indignação com relação a qqr padre, bispo ou afins. Mas, levantarei minha voz qts vezes forem necessárias para defender tbm o q considero minimo para critica: respeito e amor ao próximo, mesmo que pecador – não foi assim que Jesus nos ensinou?

    Me enoja ver esses sites q vc citou, a forma desrespeitosa, destratada, debochada como se refere a um sacerdote ordenado por essa mesmo Igreja. Digo por conhecimento de causa o bem q o padre Fábio faz, sendo meio apra intervenção dAquele maior q todos nós. Digo por uma pessoa q saiu da depressão e q se apegou a uma música do tal cantor Fabio de Melo, e q com mensagens de lábios de mel levou Deus a um coração q havia esquecido. Fraca na fé? Talvez, mas q com a Graça e misericordia de Deus, foi retirada uma pedra do caminho, através do “Pe Playboyznho de Melo”.

    Apedrejar, já temos muitos q apedrejam nossa Igreja, pq dentro da própria tacaremos as pedras entre nós msm??
    Ele erra? Erra com certeza! Peca contra a doutrina? Peca! Mas agrega, e muito a sua e a minha Igreja.

    Enfim, não sou uma das fabetes como alguns chamam qqr pessoa q tenta argumentar a favor do Pe Fabio (embora reconheça q mts agem desta forma) mas vamos pensar no incalculavel bem q ele, com a unção de Deus,proporciona, ao invés de critica-lo por coisas tão mesquinhas como a forma como se veste ou se porta?

    Fica a minha proposta para reflexão.

    Fica com Deus, querido!

    • Caríssima Tathyane, a paz!

      Devo dizer que há muito tempo não vejo uma admiradora do Pe. Fábio que pensa nas palavras que escreve, ou que trata as pessoas que pensam diferente com caridade (geralmente escrevem umas poucas linhas cheias de rancor).

      Com a mesma caridade que você tratou os opositores do Pe. Fábio merece ser tratada, mas só esclarecendo que “Ikaro” ou “Icaro” foi uma das pessoas que COMENTOU neste post, e não o autor do artigo principal, que se intitula de “Captare” e seu nome é Diogo, como está na página “sobre o autor” para quem quiser ver.

      Mesmo assim, o importante é deixar claro que ninguém desmerece o trabalho que o Pe. Fábio vem fazendo, resgatando pessoas da depressão ou aridez espiritual, etc. e ainda por cima ele é um sacerdote de Cristo, do qual, na pior das hipóteses, ainda podemos receber de suas mãos o corpo de Cristo através da Ordem que ele recebeu.

      Agora o que você disse que te “enjoa” ver gente “apedrejando” o padre merece um comentário: todos os que atacam o padre sabem do bem que ele faz, mas desejam, por caridade, que o padre faça um trabalho ainda melhor: não adianta apenas resgatar a pessoa da escuridão sem dar um direcionamento correto. O trabalho fica incompleto e, em vez de a pessoa aprender a admirar o Cristo e a Igreja (que é a continuidade de Sua obra), a pessoa aprende a admirar o padre. E só. E por que isto acontece? Porque a doutrina que ele prega é superficial, adocicada. Tudo é permitido.

      Viver em adultério? É permitido: http://intribulationepatientes.wordpress.com/2010/04/05/a-igreja-nao-tem-autoridade-para-condenar-diz-o-ungido-do-senhor/

      Abandonar a Esposa de Cristo (a Igreja) e tornar-se protestante? É permitido, o importante é o “essencial” que Jesus nos ensina, que é o amor, segundo ele disse, então penitência e conversão são desnecessários, portanto: http://blog.veritatis.com.br/index.php/2009/05/26/derrapadas-do-padre-fabiofashion-de-melo/
      A Igreja precisa aprender com ele: http://blog.veritatis.com.br/index.php/2009/05/27/padre-fabio-de-melo-entre-o-espanto-e-a-indignacao/

      Isso sem falar nas desastrosas declarações que ele dá em suas entrevistas: http://blog.veritatis.com.br/index.php/2009/05/26/o-padre-fabio-de-melo-no-programa-do-jo/

      Como ele “adocica” a doutrina, passa a pregar então o relativismo, afinal a verdade (que deveria ser ÚNICA) passa a ser somente aquilo que eu acredito, ou seja, o que eu quero aceitar que seja verdade (leia mais sobre VERDADE em http://www.veritatis.com.br/article/2834).

      O que acontece depois? Acontece que o Pe. Fábio é o salvador das almas angustiadas, e a Igreja é a malvada que condena. Esta é a visão deturpada que as fabetes carregam, e simplesmente porque o padre não prega A VERDADE, mas simplesmente o que aqueles corações angustiados gostariam de ouvir: “não importa a sua condição, Deus te ama de qualquer jeito” (isso é fato) “e você não precisa mudar de vida para aceitar Jesus” (isto já é interpretação pessoal dele). O que eu disse acima foi apenas um exemplo, ele não usou estas palavras. Mas se você leu os artigos que eu citei acima, provavelmente já entendeu do que estou falando.

      Então as pessoas que buscam entender mais sobre a doutrina da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, ao perceberem que o que o Pe. Fábio fala tem uma enorme porção de relativismo, começam a tentar corrigi-lo e, segundo as fabetes, estes passam a ser “malvados” junto com a Igreja “que condena”. Porém, até agora, eram apenas leigos que alertavam sobre este erro, isto até agora, pois finalmente um membro do clero, D. Rifan, se pronunciou sobre o assunto, corroborando assim com aqueles que falavam “a partir de baixo” (os leigos). E a missão dos leigos até agora não foi apenas apedrejar o padre. Eu, por exemplo, já enviei alguns e-mails para o bispo da diocese do Pe. Fábio e até ao prof. Felipe Aquino, membro da Canção Nova, alertando sobre os erros que o Pe. Fábio prega: todos e-mails sem resposta. Várias pessoas também tentaram, mas em vão. Por isto esta revolta tomou conta da blogosfera católica: o descaso e a permanência no erro. Como se ninguém tivesse falado nada. Mas, desde o começo, os católicos não foram omissos.

      O que as fabetes precisam entender é que a as palavras do Pe. Fábio ajudam muito em uma conversão inicial à fé cristã, mas são apenas o primeiro passo. O mesmo acontece com a RCC em geral: a partir do despertar da consciência, o cristão agora tem que buscar mais: conhecer Deus, conhecer a história do cristianismo, aprender sobre santidade, o valor de uma Missa, etc.

      Porém se a RCC e o Pe. Fábio “prendem” as pessoas no leite e não mostram o alimento sólido, vão estar impedindo o crescimento espiritual mais aprofundado, que infelizmente aqueles não oferecem.

      Bom, o que eu tinha pra comentar foi isso, peço que reflita na condição de sua fé e analise a profundidade que tiveram os santos na história: não ficaram só no “Cristo adocicado”.

      Um abraço fraternal!

    • Prezada Tathyane, Laudetur Dominus!

      Seja bem-vinda ao Battle Site!

      O Leandro respondeu muito bem ao seu comentário. Ele disse basicamente tudo o que precisava ser dito. Vou apenas complementar o comentário dele em alguns pontos que eu também julgo importantes:

      • Você diz: “Longe de querer defender o Pe Fabio de Melo”, mas é basicamente o que você faz em todo o comentário: defendê-lo. Se pretendia defendê-lo, não precisava dizer o que disse. se não pretendia defendê-lo, você não deveria ter dito coisas como “Digo por conhecimento de causa o bem q o padre Fábio faz, sendo meio apra intervenção dAquele maior q todos nós”. isto é precisamente defender o Pe. Fábio de Melo.
      • Você diz que D. Rifan “ressaltou tantos pontos positivos qt os negativos”. Bem, se você prestar atenção direitinho, vai ver que o único ponto positivo ressaltado por D.Rifan é o de que uma pessoa que não é cristã, ao ouvir o padre Melo pode até se interessar por Nosso Senhor. Ora, isso não algo exclusivo do Pe. Melo. Aliás, até um panfleto bem produzido pode cumprir este papel de fazer uma pessoa que não conhece Nosso Senhor passar a se interessar por Ele. O único ponto positivo do Pe. Melo que D. Rifan ressaltou é justamente aquele no qual ele pode ser substituído até mesmo por um panfleto.
      • Você diz que tem “pleno conhecimento do seu relacionamento com Deus, mesmo não concordando com a Igreja Católica”. Infelizmente te informo que isso não é possível, pois São Cipriano de Cartago – um dos Pais da Igreja – nos ensina que “Não pode ter Deus por Pai no céu quem não tem a Igreja por mãe na terra”(De Catholicae Ecclesiae Unitate, c. 6). Você pode até discordar do que uma ou outra pessoa dentro da Igreja diz, mas ao discordar em bloco de toda a igreja você passa a não te-la como Mãe.
      • A Igreja não é “santa e pecadora”. Isso é uma heresia espalhada pelo pessoal do “Espírito do Concílio Vaticano II”. As pessoas que fazem parte da Igreja são pecadoras enquanto pessoas. Se elas são vistas enquanto Igreja elas não são pecadoras, pois a Igreja é justamente o elemento qu as santifica. Logo, a Igreja não pode ser pecadora de jeito nenhum.
      • Agora, estas coisas de que “os conservadores/tradicionalistas tratam o Pe. Melo de modo agressivo”, de que “dentro Igreja católica ainda existam tantas pessoas que em nome da sã doutrina, deixam os valores totalmente de lado”, de que “não agimos baseados no amor ao próximo”, são apenas preconceitos, pois você não é capaz de citar nenhum exemplo destas coisas que você fala. Se você quiser, eu posso te ajudar a ver que você está vendo estas coisas com um juízo pre-concebido e, por causa disso, não está pensando com clareza.
      • Você diz que concorda inteiramente com o comentário do Icaro, que é justamente o comentário que lança ofensas contra mim? Se você prestar atenção eu ta,bém mostrei que essa coisa de “procurar agregar, ao invés de dividir” é só um slogan besta. Lá em cima está explicado porque isto é uma grande bobagem.
      • A forma como o padre se veste ou se porta de modo algum são coisas mesquinhas. São Paulo mesmo dedicou capítulos e capítulos em suas cartas sobre o modo de vestir e de se portar dos Cristãos. Você chamaria São Paulo de mesquinho? Além do mais, você nunca ouviu dizer que “palavras movem, mas exemplos arrastam”? Ora, o exemplo começa justamente no modo de se vestir e de se portar. Neste contexto, as palavras são apenas um complemento àquilo que o padre já demonstra exteriormente. Sem estes distintivos, as palavras podem acabar se tornando vazias.

      Como você viu, aceitamos a sua proposta de reflexão e estamos dialogando em cima dela. Mas não adianta nada se você não aceitar os pontos que propomos para a sua reflexão. E repare que não fomos “agressivos”, “destratados” ou “debochados” em nenhum momento.

      Volte sempre e semprte dê a sua opinião, pois o debate no espírito de caridade é muit saudável.

      Pax et Salutis

    • Caríssimo Junior, Laudetur Dominus!

      Obrigado pela divulgação do artigo! Infelizmente só vou poder ver o que aconteceu na comunidade do orkut a partir do dia 21/04, que é quando eu vou voltar para casa. Até lá estou trabalhando e aqui no trabalho o Orkut é bloqueado (maldito websense!)…

      Pax et Salutis

  5. Só por curiosidade: (não sou fã do Ratinho, mas) eu estava assistindo ao Programa do Ratinho no SBT hoje e o apresentador estava conversando com um padre cantor (este usava batina e clergyman, a propósito), Pe. Juarez de Castro ( http://www.padrejuarez.com.br/ ) e o Ratinho disse uma frase muito interessante:

    “Padre, eu gosto do senhor porque o senhor é primeiro padre e depois cantor, ao contrário do Pe. Fábio de Melo que é primeiro cantor e depois padre”

    O interessante é que, até o Ratinho, que não está ligado à Igreja (ao menos não publicamente) percebe este tipo de coisa — como o estrelismo do Pe. Fábio… o que falta para as fabetes descobrirem a América?

    Um abraço fraternal!

  6. “o que falta para as fabetes descobrirem a América?”
    Acho que a idolatria provoca esse tipo de irracionalismo, embora elas não reconheçam na teoria, na prática preferem as sensações que sua pseudo-fé despertam do que o próprio Deus. Qualquer pessoa com um mínimo de bom senso, independente até de religião, percebe o estrelismo do Pe. Fabio e que ele prioriza mais sua carreira artística do que seu compromisso como sacerdote e isso foi ele mesmo quem disse na entrevista com o Jô Soares, ou seja, não é ódio gratuito contra o sacerdote.
    Sendo assim, seilá o que fazer, às vezes no momento de raiva, penso que só o choque elétrico nas fabetes poderia dar alguma esperança.

    • Prezado Rodrigo, Laudetur Dominus!

      Seja bem-vindo ao Battle Site!

      Você tem razão: a idolatria provoca este tipo de irracionalidade, principalmente a idolatria dos sentimentos. Enquanto essas curiosas criaturinhas não entenderem que fé não tem nada a ver com sentimentos estarão sujeitas a estas bizarrices.

      Contudo eu creio que choque elétrico (hehehe…), apesar de tentador, não é necessároa para tratar as fabetes. Manter-se firme na repetição da verdade, sem se deixar exaltar na crítica ao Pe. Melo é mais do que suficiente, até que elas percebam que se alguém fala mal do “padre de R$9,90” é para o bem e não para o mal.

      Pax et Salutis

  7. Amigo,

    Veja esse vídeo do Fábio de Melo em diálogo com o Padre Joãozinho no “direção espiritual:http://www.youtube.com/watch?v=lLZ2aOBgWz8&feature=related

    Preste atenção a partir dos 05:50 eles dizem:

    Fábio de melo-Será que não faltou no processo da revelação a compreensão desta presença FEMININA de maneira Clara,definida?

    Padre Joãozinho-Com Certeza,Com certeza!!! nós masculinizamos demais a Trindade

    Fábio de melo -Acho tão mais simples dizer:Deus é pai,é mãe e filho,ai seria família…

    Padre Joãozinho -Eu já estou fazendo o sinal da cruz diferente,Em nome do pai,do filhoe da brisa-santa(Senhor tende piedade de nós!)

    Peço que se possíve comente essa entrevista!

    Pax et bonvs!

    • Caríssimo Jefferson, Laudetur Dominus!

      Muito obrigado pela indicação do vídeo! Infelizmente só vou poder vê-lo a partir do dia 21, pois no lugar onde trabalho e onde me encontro atualmente o You Tube é bloqueado.

      Mas esse diálogo é absurdo! Já não basta fazer conjeturas totalmente alheias à Doutrina Católica, agora estes dois têm que dizer coisas que contrariam a própria bíblia e as noções mais elementares de teologia dogmática!!! Estão ensinando a fazer um OUTRO SINAL DA CRUZ num programa chamado “Direção Esíritual”!!!

      Com certeza eu vou comentar esse diálogo infeliz! E, se Deus me der forças, tomar outras providências, pois isso já passou de todos os limites!

      Pax et Salutis

    • Olá, Jefferson e colegas!

      Só comentando: Eu estava assistindo ao programa ao vivo quando estas heresias foram ditas (afinal, o programa Direção Espiritual é exibido logo após a Escola da Fé, do prof. Felipe Aquino, que eu considero muito interessante; e eu acabei por continuar acompanhando a programação… pena que ninguém me avisou para buscar o saco de vômito), e não posso perder a oportunidade de falar que a primeira colocação dele sobre o “triteísmo” (primeiros 40 segundos do vídeo) é dirigida, a meu ver, àquelas Missas carismáticas que são iniciadas com aquela toada 6/8 horrível (“Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito Santo estamos aqui — para louvar, e agradecer…) que tem gestinhos e palminhas. NESTE PONTO concordo inteiramente com o Pe. Joãozinho.

      Mas o contexto todo é meio show trash: eles estão elogiando o livro “A Cabana” que eu não li e não posso dar uma opinião precisa, mas pelo que ouvi dizer eles tratam a trindade exatamente de uma maneira… bom… relativista. E para defender sua tese ainda cita… Leonardo Boff (com ressalva, ainda bem)!

      Aponto um detalhe: quando o Pe. Joãozinho fala “chamar o Espírito Santo de Brisa Santa é extremamente fiel ao texto bíblico original, o Espírito Santo não é Espírit’O’ Sant’O’; é ‘Ruah’ (que é feminino)”… Que coisa mais protestante, padre! Foi sendo “extremamente fiel ao texto bíblico original” (e esquecendo a tradição e o magistério) que tantas e tantas divisões vão sendo feitas e o Corpo de Cristo, que é a Igreja, vai sendo esquartejado!

      Meu objetivo com este breve comentário foi elucidar um pouco o seguinte: quando começamos a inventar, enfeitar, adaptar demais o discurso da Igreja, beiramos à heresia.

      Um abraço fraternal!

  8. Meu querido amigo e colega Diogo
    Pax et Bonus!
    Parabéns p/ vc e seus colaboradores que pelo que li e entendi,são corajosos defensores da Santa Igreja do Senhor Jesus,da Palavra e do Magistério!E certamente fazem parte do “Pequeno Rebanho” que aguarda, fiel e vigilante, destemido,num combate ferrenho, o Retorno Glorioso do seu Grande Pastor:o Senhor Jesus, Ressuscitado, Vitorioso que já está ás portas p/ “acertar as contas” com todos nós.Estou estarrecida, diante de tantas “abobinações” e males, dentro e fora da Igreja,já previstos no Terceiro Segredo de Fátima, me lembrei da atualíssima Mensagem de 14/12/2010 da Verdadeira Vida em Deus.È uma Oração ditada pelo próprio Jesus, á sua “Secretária” Vassula Riden, p/que fosse divulgada p/ todos os seus amigos e p que fosse rezada p/ clamar ao Eterno Pai perdão e misericordia p/ a humanidade que vive em situação de pecado e rebeldia e que está prestes á receber o castigo merecido…A quem interessar ver o Site: The true life in God”.
    No Coração Imaculado de Maria,pelo seu triunfo no mundo,rezemos e façamos penitência,
    unidíssima,
    juju de Jesus

  9. Sou espírita e respeito todas as religiões e todas as pessoas, pois venho de família católica e sei que apesar dos crimes cometidos durante as cruzadas e outros fatos negativos que são encontrados em qualquer livro de história, tenho muito respeito e até admiração pelas coisas positivas que ela fez.
    Quanto ao padre em questão, vou comentar um fato que ocorreu na cidade onde ele mora aí então cada um tira a sua conclusão:
    Chegou a um escritório para assinar a escritura do apartamento onde morava em um prédio de luxo (padre morando em prédio de luxo??? Estranho né???). O mais interessante é que o cartório mobilizou funcionários até este escritório onde foi organizado um café da manhã e tudo mais, pois seria tratado como um evento. Ele parou o carro na porta e não saiu de dentro enquanto uma pessoa não saiu para recebê-lo e e conduzi-lo para dentro da empresa. Ao adentrar a empresa, empinou o tórax dentro de uma camiseta baby look e calça jeans de marca, olhando para frente, não cumprimentou nenhuma das pessoas que ali esperavam ansiosamente o famoso padre que dias antes tinha feito uma apresentação na TV onde disse ter feito um tal voto de pobreza. Foi direto para a assinatura da escritura do seu apartamento de luxo, em seguida uma pessoa tentou apresentá-lo ao pessoal da empresa e com os braços cruzados, sem olhar para a cara de ninguém disse: “Não tenho tempo para isso, preciso ir embora!”
    A amiga que me contou, que até então era sua fã, tinha levado uma foto do padre onde tentaria obter um autógrafo, fez questão de rasgá-la logo que ele virou as costas.
    Bom, como eu disse: Por ai, cada um tira a sua conclusão…

    • Prezado Jandilson, Laudetur Dominus!

      Seja bem-vindo ao Battle Site!

      Esta estória de “crimes cometidos durante as cruzadas” me dá uma preguiiiça! O senhor diz que eles são encontrados em qualquer livro de História. Mas há livros de História e livros de História: há os bons, e há aqueles influenciados pelo iluminismo anti-clerical e anti-eclesial. Infelizmente, estes últimos são os que são usados em nossos cursos de ensino médio. Pobres adolescentes…

      Não tenho nenhum motivo para duvidar da sua sinceridade, ou da sinceridade da sua amiga, mas esta história contada por ela tem muitos elementos que me parecem bem fora de lugar. A minha opinião pessoal é a de que o relato não faz muito sentido, por isso duvido seriamente que ele seja totalmente verdadeiro.

      Quanto a cada um tirar suas conclusões, esta é uma atitude muito difundida nos dias de hoje. Ela é baseada na idéia de que todos tem direito à sua opinião, por mais tresloucada que ela seja. O resultado disso são jovens – e até adultos mesmo – tão arrogantes quanto ignorantes, espalhando sua empáfia e incultura embalados pela ilusão de que “sua opinião é muito importante para nós”. A maioria não sabe nem fazer uma concordância verbal, mas acredita ridiculamente poder “tirar suas próprias conclusões”.

      Vou deixar seu relato publicado pois, como eu disse, não tenho motivos para duvidar que o senhor o tenha postado com intenção sincera. E não há razão para recusar comentários que não contém nenhuma ofensa pessoal e são redigidos de maneira respeitosa e ortograficamente correta. Mas não dá pra tirar nenhuma conclusão dele pois ele é muito surreal. E mesmo se não fosse, são poucas as pessoas realmente conseguem tirar conclusões verdadeiramente relevantes daquilo que elas lêem.

      Pax et Salutis

  10. Dom Rifan “ERA” tradicionalista, hoje em dia ele MITIGA a doutrina católica que um dia ele mesmo ensinou. Como por exemplo quando ele fala dos 62 motivos para NÃO IR À MISSA NOVA, e agora ele “simpatiza” com os modernistas e simplesmente não vê mais problemas na missa nova.

    • Prezado(a) representante dos Católicos Tradicionais de SBO, Laudetur Dominus!

      Seja bem-vindo(a) ao Battle Site!

      Considero um exagero dizer que Dom Rifan “era” tradicionalista. Esta proposição só é verdadeira quando se procura restringir o mérito da defesa da Sagrada Tradição a alguns grupos. Uma atitude errada que eu vejo com certa freqüência por aí é usar o termo tradicionalista referindo-se somente à FSSPX e aos grupos que seguem seu modelo. É evidente que Dom Rifan capitulou em muitos aspectos até o que ele mesmo dizia enquanto padre sob o pastoreio de Dom Mayer. É evidente, também, que ele cometeu erros quando fez essa capitulação. Mas uma coisa é dizer que ele comete erros na luta pela defesa da Tradição e outra coisa é dizer que esses erros são tão graves a ponto de excluí-lo da luta mesma.

      A realidade do tradicionalismo é muito ampla e complexa – mais ampla e complexa, inclusive, do que gostariam aqueles envolvidos nela. Para termos idéia da amplitude dela, basta lembrarmos que existem grupos que se admitem tradicionalistas com divergências entre si de todos os tipos. Existem grupos que, apesar de tradicionalistas de facto, evitam ser chamados assim. Alguns sedevacantistas se consideram tradicionalistas (se consideram os os únicos tradicionalistas, diga-se de passagem). Alguns tradicionalistas têm boa convivência com estes últimos, outros os rechaçam totalmente, etc., etc., etc.

      Digo estas coisas porque apesar de ser uma atitude imprudente e contraproducente, alguns grupos parecem pensar que têm o monopólio da luta pela Santa Tradição Católica. Este pensamento traz a tentação de encarar toda divergência, por mais periférica que seja, como influência ou acolhimento do modernismo. Acusar alguém de ser modernista, ou mesmo simpatizar com eles é uma acusação gravíssima e os tradicionalistas em especial deveriam ter consciência desta gravidade e deveriam evitar lançar este anátema como mera estratégia de persuasão, a fim de evitar a banalização de um assunto tão sério.

      A luta pela Santa Tradição Bimilenar não pode ser empreendida somente pela paixão. Os envolvidos nela devem ter consciência clara da hierarquia de problemas a serem resolvidos – como eu disse antes – não para esquecerem suas diferenças, mas para terem paciência o bastante para tratar delas no momento mais oportuno.

      Pax et Salutis

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s