Mensagens uteis

(Aviso: Este post foi publicado no antigo Captare’s Battle Site. Portanto, muitas idéias aqui expressas podem não corresponder ao que penso atualmente, podendo até mesmo contradizer meu modo de pensar atual).


“Rise up and follow me, cause I will bring The Light!
Rise up and follow me, wake up and clear your mind!
I try to bring it back: The Seed of Life!
I try to bring it back: The Seal of Light!”
(Precious Jerusalem – Blind Guardian
in A Night At The Opera)

Há alguns dias descobri uma nova modalidade de passatempo, dado o fato de que preciso cumprir jornadas noturnas de doze horas de trabalho, que me tem deixado um tanto quanto surpreso. Trata-se de enviar e-mails com textos de sabedoria para todos da minha lista de contatos. Me surpreende o fato de que, de vez em quando recebo textos desse tipo, como as famigeradas apresentações confeccionadas no “Microsoft Power Point”, mas não costumo dar muita importância a esse tipo de correspondência eletrônica. Por quê? Por vários motivos!

Pra começar porque, em sua maioria, são textos superficiais e que não refletem, de forma séria, a condição humana e/ou a sua relação com Deus. Não são frutos de um estudo imparcial ou de uma observação humilde dos problemas do mundo. São apenas palpites, bem ou mal-intencionados, que visam plantar o ponto-de-vista de uma pessoa na mente de outras, e sugerir que as soluções dos problemas da humanidade estão contidas numa tosca apresentação de slides, contanto que ela seja passada para o maior número de pessoas que você conheça. Na minha longe-de-ser-humilde opinião, fosse realmente desse jeito, Jesus teria nascido na era da internet, creio eu.

E por fim, porque elas estão carregadas de armadilhas emocionais totalmente desnecessárias, ou melhor, que seriam totalmente desnecessárias caso a mensagem que está sendo passada tivesse realmente um conteúdo relevante. Dentre essas armadilhas eu destaco as infames correntinhas(“Não quebre essa corrente! Se você enviar isto para 436.879 pessoas vc receberá um telefonema de seu ator preferido em 22 segundos”; “Se você não enviar a pelo menos quinze pessoas você ficará cego e com micoses embaixo do braço”; “Pessoas que quebraram essa corrente tiveram sua casa invadida por facóceros albinos, morreram e depois tiveram dores de cabeça por 19 anos. E ficaram totalmente pobres!!!”), e frases cheias de lições de moral que visam causar culpa nos rebeldes que apagam essas pérolas da futilidade(“Se fosse uma piada você enviaria a todos da sua lista, mas como é um texto sobre o fim do mundo num oceano de fogo você se preocupa com o que seus amigos vão pensar de você! Deus está vendo e vai te dar uma chinelada!”; “Apague esta mensagem e você estará mandando as pessoas que você ama e não a receberam para o inferno!”). Se preciso ameaçar os futuros leitores de minha mensagem com coisas desse tipo, esse é o sinal definitivo de que o que escrevo não merece o menor crédito.

Mas aí vem um Zé Corneta da vida e pergunta: “Mas, Captare, se você condena tanto essa atitude, por que está agora fazendo a mesmíssima coisa?” Ao que eu respondo: “A mesmíssima coisa não, pequeno Anjo Terrestre! Algo diferente…”

O que faço de diferente é que, não fico gastando meu tempo bolando discursos bonitinhos, nem muito menos tentando embelezá-los mais com fotos desconexas ao fundo e efeitos de texto surgindo, desaparecendo e dançando na tela como se fosse uma apresentação de balet. E as músicas? Ah, as músicas! Não! Minha mensagem não tem que ser bonita, ela tem que refletir algo que, no meu ponto-de-vista, seja uma verdade. Ela tem que refletir um pedaço da minha alma, mas pelo seu conteúdo e não pela casca em volta! E aqueles que lerem não precisam ser tocados, como aconteceu comigo, ou mesmo achar aquilo que está escrito bonito. Se isso acontecer, bom, mas a intenção é a de que eles conheçam um pouco o que eu penso sobre a vida e possam achar pelo menos um ponto interessante na mensagem. Se é algo com o que concordo, é um ponto-de-vista em comum que temos e servirá para nos unir. Se for algo com o que não concordo, será uma ótima oportunidade de debater e de crescermos juntos com isso.

Outra coisa diferente é que passo essa mensagem somente para os meus amigos, pessoas que me conhecem e que podem ver coerência entre o texto e a pessoa que o enviou. Não coloco nenhuma obrigação de encaminharem a mensagem. Se fizerem isso um tanto melhor, mas que os amigos que receberem possam enxergar a mesma coerência entre o texto e a pessoa que o encaminhou, mesmo que não me conheçam e não possam fazer esta mesma ligação comigo. De outra forma ela se tornaria mais uma dessas mensagens sem sentido que circulam por aí(com a desvantagem de ser bem menos elegante…).

Por último, mas não menos importante, sugiro a vocês que tentem fazer a mesma coisa. Comecem como eu mesmo tenho feito, selecione por aí alguns textos já prontos mas que expressem sua forma de pensar e que na sua opinião tenham uma grande carga de sabedoria e envie para seus amigos(só os amigos, não vale aquelas pessoas que você adicionou no orkut e afins e com quem nunca conversa) e deixe que alguns deles respondam. Tanta coisa inútil é enviada pela internet, às vezes por nós mesmos, bolas-de-cristal e trevos-de-quatro-folhas viajam por aí na velocidade da luz e o que deveria ser a partilha do conhecimento do mundo se torna uma coisa banal.

Só há duas formas de deter a banalização da sabedoria na internet. A primeira é selecionar e enviar SOMENTE aquilo que REALMENTE consideramos sábio e útil. E a segunda é fazer com que essas mensagens circulem por um grupo PEQUENO de pessoas, para que essa onda não seja atenuada pelas milhões de formas diferentes de pensar espalhadas por aí.

E novamente temos sabedoria!!!

Captare – O Questionador dos Deuses

*************

E>Olá!!!<3

E aí, Anjos de carne e osso? Como têm passado? E como foram as festas de fim-de-ano? Não beberam muito, não é? Neste finalzinho do ano passado muitas coisas aconteceram que são dignas de nota. Batalhas suadas e alguns prêmios inesperados, que me dão a esperança de um ano bem mais resolvido daqui para a frente.

O primeiro fato a ser comentado é que eu não tenho mais ficado com a Edilaine. No meu último período de folga nós saímos juntos nos dois primeiros finais-de-semana e eu tinha pensado que eles iam ser os mais divertidos até então. Para minha decepção ela não mudou nem um pouco de opinião e atitudes desde que a gente começou a ficar junto e, continuou com suas tentativas totalmente desnecessárias e cansativas de contrariar a minhas esperanças de um final feliz. Chegou mesmo a falar em um momento que estávamos juntos que ela sentia pena de mim e do esforço que estava fazendo para amá-la. Na hora eu não pensei muito sobre isso pois estava num momento de afeição muito grande, mas quando eu cheguei em casa, depois, aquele “pena” bateu em mim como um soco. Resolvi que não ia mais tentar ficar com ela(eu sempre tinha que insistir muito para isso) e que ela faz escolhas. Não me importo em me desgastar deste jeito para convencer que posso fazer uma pessoa feliz, mas até eu tenho limite para o desgaste. A partir daí é muito difícil fazer eu voltar a ter o mesmo ânimo de antes. Continuamos ótimos amigos, trocamos ótimos presentes de natal e continuamos a conversar durante horas pelo telefone, mas dificilmente voltará a acontecer mais do que isso…

Com isso a vaga ficou novamente disponível, e não demorou a ser preenchida, mas dessa vez tudo leva a crer que é temporariamente e eu tenho consciência disso. Acontece que, no dia 24 mesmo eu recebi um telefonema da Susana(minha ex-namorada; mais detalhes consultem minha Biografia e postagens anteriores) que pretendia apenas me desejar Feliz Natal, mas ficou contente em saber que eu estava disposto a ir à casa dela depois da meia-noite, como eu fiz no ano em que estávamos namorando. Eu fui e nós voltamos a ficar no portão da casa dela. Na manhã seguinte eu fui buscá-la para a missa de Natal e ela passou o dia todo comigo lá em casa. Na terça-feira, dia 27, fomos à praia eu, ela, mais minha mãe, O Andarilho e a namorada dele, uma tarde de muita zoação e, de noite, eu tinha prometido à minha avó que a levaria para ver a árvore de Natal montada no centro da Lagoa Rodrigo de Freitas. Convidei a Susana para ir junto comigo e minha avó e, como bônus, resolveram ir junto minha mãe e a mãe dela. Ficamos longos minutos observando a árvore e suas milhares de luzes coloridas e na volta eu paguei um jantar para as três senhoras e a senhorita. Me senti um verdadeiro cavalheiro naquela noite! Nós ainda ficamos juntos no dia 1º. Mas o fato é que ela passou para Sargento da Aeronáutica e deve estar partindo esse mês para Recife. Então, acho que não poderíamos levar adiante o que quer que surgisse(ou ressurgisse) entre nós. Mas eu tou consciente disso e isso não me faz mal. Estão sendo apenas bons momentos que tanto eu quanto ela merecemos devido a um final de ano prá lá de cansativo.

Fora minhas aventuras e desventuras românticas, o último mês do ano foi divertidíssimo! Já voltei para casa na iminência da realização do Auto de Natal, realizado pelos jovens do grupo da Igreja do qual eu participo. No ano passado não tivemos auto, apenas uma música cantado pelo coral integrado pelos mesmos jovens. Tivemos ensaios durante a semana e também nos reunimos para ver filmes, o que é SEMPRE muito divertido! No auto, apesar da instabilidade durante os ensaios, tudo deu certo e a encenação foi muito bonita(eu fui um dos Reis Magos; Qual? Gaspar, eu acho…)! Depois da Missa, muita comida em casa e depois da meia-noite o tradicional tour natalino que eu sempre faço, entregando cartões, desejando Feliz Natal e filando comida onde quer que eu parasse. A tour continuou no dia 25 de tarde depois que eu me despedi da Susana. No dia 31, as músicas da missa eram a cargo do já referido Coral Jovem, ensaiamos durante a semana e eles estavam ótimos durante a missa! Muito legal mesmo!

Um fato inusitado que aconteceu também é que, segundo a minha escala de trabalho, eu estaria trabalhando durante o Reveillón mas, e Deus seja glorificado por isso, houve a necessidade de fazer uma obra onde eu trabalho. Sendo que eu só voltei a trabalhar depois do Ano Novo, no último dia 4. Poderia ficar apenas 7 dias no trabalho e ter minha folga do mesmo jeito mas estou trabalhando ainda hoje substituindo um rapaz que está de férias. O bom disso é que depois eu posso gastar esses dias em folga! Mas por enquanto, estou trabalhando à noite aqui na empresa.

Por enquanto, é isso. Leiam também o blog da “Sândalo Branco“, que fala da alegria pelo ano ter ido embora e da necessidade de se estar triste de vez em quando. Passem também no Blog “Fênix“, da Celinha, que reclama de um súbita dificuldade em escrever. Dêem uma lida também no blog da “Marcelinha“, que está questionando a trivialidade e alienabilidade de ferramentas da Grande Rede, como o Orkut e o MSN Messenger.

Hoje também anuncio dois blogs novos para enriquecer-vos. Trata-se do “Recanto das Borboletas“, da minha amigona, a Emori. Arte gótica e muitos textos carregados de sentimento e poesia! O outro é o debutante “O Intelecto“, do Cássius, namorado da Celinha. O blog está falando sobre traição e seus efeitos nefastos.

E>Até mais!!!<3
Captare

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s