Entrevista de estágio

(Aviso: Este post foi publicado no antigo Captare’s Battle Site. Portanto, muitas idéias aqui expressas podem não corresponder ao que penso atualmente, podendo até mesmo contradizer meu modo de pensar atual).

“Work sucks, I Know…”(All the small things – Blink182)

Entrevista de estágio é sempre a mesma chatice. Mas ontem foi diferente. Essa foi a entrevista mais demorada, mas foi a mais completa e pessoal que eu já prestei. Geralmente as entrevistas de estágio são frias, sempre tem um cara que NÃO QUER saber o quanto você sabe ou que tipo de pessoa você é. Apenas pergunta onde eu moro, qual a minha pretensão salarial… Tem noção?! O cara, ao invés de pensar se eu seria ou não um bom técnico tá é preocupado com o quanto eu vou gastar de vale-transporte!!! Mas ontem foi bem diferente.

Bom, primeiro eu tenho que contar como surgiu essa oportunidade. Eu tava terça-feira aqui em casa, DE NOITE, quando a mulher da TN Industrial me liga marcando uma entrevista pras 9h da manhã do dia seguinte. Minha Auto-escola de manhã foi pro espaço. E meu curso noturno no cefet também(uma vez que auto-escola é algo que eu não posso faltar, eu teria que ir de noite).

E lá fui eu de novo: Acordando cedo, me arrumando direitinho(como gente comum e não do jeito que eu costumo me arrumar, é claro), e partindo em direção ao CEFET, pra ver se eu pegava uma carta de apresentação que mais uma vez eu não sabia se ia conseguir. Consegui, mas o nome da empresa tava errado. Paciência, eu ia ter que ir pra entrevista sem carta de apresentação mesmo, na marra! E fui. Espera um pouco o ônibus, salta numa rua que eu julgava ser perto e anda pra caramba. Resultado: Cheguei atrasado. Se eu não tivesse teimado em pegar a bendita carta, é bem provável que eu tivesse chegado na hora marcada.

Lá eu subi direto. Na sala de entrada da empresa já tinha um carinha esperando pra ser entrevistado. A recepcionista era uma mulher de seus trinta e tantos anos. Era evangélica, ficava falando o tempo todo algumas coisas na língua dos protestantes(num sei o quê em nome de Jesus… talcoisa é uma bênção… já tou abençoada com esse cara…). Ela também ficava falndo muito dos filhos dela(que pelo que parecia, tavam doentes) e ficava reclamando da dor de cabeça e de que ela precisava ser mais mansa(porque Jesus era manso…). Mas era uma ótima pessoa e muito divertida! Deu pra conversar bastante com ela.

Quando o outro carinha saiu eu entrei. O cara que ia me entrevistar(Paulo César) era um cara legal mas me advertiu sobre o meu atraso e falou que às vezes é melhor faltar do que chegar atrasado. E aí ele despontou a preguntar um monte de coisas. Muitas mesmo! Coisa que não acabava mais. Quis saber da minha experiência na Enlace. Do que eu tava fazendo desde que eu saí de lá. Quais eram meus hobbies. Queriam saber quais eram os meus conhecimentos em informática, em sistemas operacionais, se eu tava antenado com as novidades. Quis saber o quanto de cada pecado capital(vê só isso!) eu tinha. Perguntou o que eu tinha a oferecer à empresa e pediu que eu escrevesse isso. Disse também que a forma que eu escreveria me diria muito sobre mim e também estaria sob avaliação. Aliás, houveram outras pegadinhas na entrevista, como o fato de ele me perguntar como eu descobria o defeito dos circuitos na Enlace, quando eu falei que andava antenado com as novidades da informática ele me perguntou se eu já tinha ouvido falar do novo CD de papel que eles estavam fabricando e eu tive que dar alguma opinião, eu comentei que el gravava pra mais de Giga. Fora que ele me disse que o jeito de eu responder às perguntas, dizia muito sobre a minha personalidade. Me pergunto se o cara não seria um técnico de eletrônica e psicólogo ao mesmo tempo. Pensei que só eu iria trilhar esse caminho de maluco.

Depois ele começou a falar sobre a oportunidade de estágio e aí tudo voltou a ser mais uma corriqueira entrevista profissional. Ele ainda perguntou sobre algumas coisas que estavam escritas num quadro e quando eu dei a última resposta sem titubear ele, na mesma hora, apertou minha mão e disse que eu tava liberado. Há! Foda! Acabou em grande estilo…

Foi um tanto duro, de noite, ouvir minha mãe dizer que eu tinha que me mexer, que eu tinha que me…sei lá(nem ela sabia o que queria que eu fizesse). Mas isso é me mexer! Eu tou seguindo o meu caminho, oras! Dessa vez eu não tou nem tão interessado em se eu vou conseguir o estágio ou não. Só a experiência da entrevista valeu a pena. Era ela que eu precisava vivenciar e curtir. O cara não me entrevistou simplesmente, ele conversou comigo e eu senti que eu tava respondendo com segurança e sinceridade. Cada um cumprindo bem o seu papel: Ele tentando me ajudar a ter sucesso na minha busca por estágio e eu ajudando ele a fazer o serviço dele bem feito. Aquele aperto de mão pra mim foi mais do que uma dispensa. Foi um acordo, de que nós tínhamos cumprido nossa missão naquela hora.

É isso que eu gostaria de partilhar: Todos ficam muito preocupados com as entrevistas de emprego, concursos, provas do colégio, com o quanto vão pagar de vale a seus estagiários e se esquecem de que é o momento da experência que conta! Eu ganhei o dia só com essa entrevista. O resto dele foi irritante e morno. Mas eu fui um bom candidato a estagiário. É como essa apresentação que a Falange vai fazer Sábado agora: Não importa se o som vai estar bom ou ruim, se vai ter público ou não, o que importa pra mim é ser um bom tecladista e vocalista, e encaixar o meu som no som do resto da banda. O resto são detalhes que às vezes nem dependem da gente e que não devem e NÃO VÃO estragar a diversão!

Portanto, fique em casa sem fazer nada, se você acha que isso é uma experiência válida e divertida, pois isso é o que conta. Se você não acha isso divertido, o que que tá esperando?! Levanta esse rabo daí e procura alguma coisa, que valha a pena de se fazer! Folgado(a)!!!

Captare

**********

E>Hello, friends!<3

Dessa vez eu voltei rápido, hein? Também com esse feriado! Corpus Christi(O Corpo de Cristo)! Tem missa solene e tudo. É a festa católica que celebra a Eucaristia, o Corpo de Cristo. É bom lembrar a vocês, mesmo que não sejam cristãos católicos como eu, que Eucaristia tem um sentido muito forte de comunidade e partilha. Essa festa nos lembra sobre a importância de nós sermos tão unidos quanto um corpo é unido(como o próprio Senhor Jesus fez questão de FRISAR!) e de dividirmos o que temos, principalmente o nosso alimento, com aqueles que nem isso tem.

Continuamos em preparação para a apresentação que a Falange tem pela frente. Espero ver alguém que lê este Site lá na apresentação!

Recomendo que vocês visitem o Blog “Fênix“, que tá meio desatualizado, mas que mesmo assim tem um monte de textos legais pra vocês lerem e comentarem. Passe também no “Legado do andarilho“, que tá falando sobre a primeira apresentação da Falange. Afinal a gente tá praticamente só pensando nisso!

E>Goodbye!<3
Captare

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s