Melancolia junina

(Aviso: Este post foi publicado no antigo Captare’s Battle Site. Portanto, muitas idéias aqui expressas podem não corresponder ao que penso atualmente, podendo até mesmo contradizer meu modo de pensar atual).

“This emptyness burns inside and,
Leads us for endless miles…”(Silence and Distance – Angra)

“- É, pelo menos São Pedro colaborou…”

Essa frase quem disse foi a Camila, namorada d’O Andarilho, nesse fim-de-semana. Ela se referia ao fato de não estar chovendo. Pois nesse fim de semana iria acontecer a Festa Junina lá da Igreja. Na hora eu pensei “É mesmo…”, mas logo em seguida eu pensei “Não faz diferença… Afinal, quantas festas a gente já não realizou na chuva…”

A festa aconteceu. Muita gente compareceu. E eu trabalhei muito para que ela acontecesse. É…Tudo parecia estar em câmara lenta. Eu mesmo estava tentando agir o mais devagar possível. “Nós temos pouco material pra vender, então é melhor a gente trabalhar mais devagar…”, foi a desculpa que eu usei. Mas a verdade era bem mais obscura… As crianças estavam correndo e brincando. Tinha gente alegre e gente que apenas “estava lá”. Acho que EU apenas “estava lá”. Faltava alguma coisa…

Tudo estava correndo muito bem. A barraca estava vendendo bem. As pessoas vinham e faziam seus pedidos. Muita gente vinha só pra conversar mesmo. Muito trabalho. Pouca disposição. A mesma sensação de que todos esperam algo mais de mim. Esperam que eu faça algo. Esperam que eu não os decepcione. Não funciona! Eu sempre decepciono que cria expectativas sobre mim. Vazio…E eu nem sei por quê…

Talvez parte desse vazio tivesse a ver com uma pessoa. Uma garota. Ela estava lá o tempo todo. Mas eu não consegui criar uma oportunidade para falar com ela. Não o assunto que eu queria falar, é claro. Será que eu decepcionei até a ela? A música da quadrilha tá tocando. No forno algumas pizzas assam. Mas por que será que eutou tão lento e indisposto? Droga!

“Vem, Diogo! É hora da gente se arrumar! A quadrilha já vai começar!” Num dia fantasia de Visconde de Sabugosa, no outro uma roupa de “Cowboy”. Foto abraçado com ela. A quadrilha acontece. Um grande feito considerando as curtas duas semanas que tivemos pra ensaiar. E nem todos ensaiaram em nem todos os dias. Mas não é só ela! É tudo! Parece que tudo acontece em volta e dentro parece ter algo escangalhado. Tudo parado!

Nessas horas a gente pára e observa as pessoas. E histórias engraçadas passam pela cabeça. Coisas engraçadas passam pelos olhos. Observar é até legal. Mas não leva a muita coisa. Depende do que você observa. Observar pizzas assando no forno não é legal. Ao observar pessoas você pode aprender muito sobre elas. Eu vi o quanto a Monique tava preocupada com a quadrilha. Eu vi o quanto a Camila tava procupada com a barraca. Eu vi o Guilherme que parece que torceu o pé só pra não dançar e não pagar mico. Eu vi gente chegando no final da festa no domingo pensando que ela ia ser de noite. Haha. Vi que ela até me olhou algumas vezes. Mas não tiro nenhuma conclusão. Quando se é um Anjo, você pode ver tantas coisas, mas pode interferir com tão pouco…Noite de domingo! A festa acabou. É hora de arrumar as coisas. Bem podia ter sido bem pior.

Eu fui o último a sair. Isso já aconteceu outras vezes. Mas acho que a missão foi cumprida. Pelo menos nesse fim-de-semana. “Parabéns, meu filho!” – Diz uma senhora para mim. É, talvez isso seja um bom sinal…

Captare

**********

E>Olá…<3

Rápida passagem pelo campo de batalha para uma postagenzinha. O tempo por enquanto tá meio apertado.A Falange Está se preparando para participar de um festival lá no Sesc de Madureira. Nós tivemos um ensaio ontem, na casa do Hilton e estamos treinando muuito para esta apresentação! Apesar de nós só tocarmos duas músicas uma delas(Nova Era, do Angra) é difícil a beça! Mas nós estamos bem animados. Devemos ensaiar com o nosso novo baixista (o Conde Mortimer!!! Quem diria…) nesta quinta e vamos nos internar durante três horas num estúdio na sexta-feira.

Neste fim-de-semana rolou a Festa Junina lá da Igreja(mas detalhes, ou menos, veja a postagem). Houve muito tumulto na barraca como sempre. A quadrilha foi engraçada pra caramba! Tivemos pouco tempo pra ensaiar mas acabou dando tudo certo. Bem, quase tudo pelo menos.

Aconteceu algo no fim-de-semana passado até digno de nota: Voltando da praça na sexta-feira eu e a Shirley demos uma passada numa praça que tem aqui perto de casa. Ficamos lá no maior amasso. Alguns aí já deviam estar se perguntando “e como anda o seu caso com ela?”. Tá assim. A gente fica de vez em quando. Ou seja, quando ela tá afim. Eu me convenci de que pra que eu possa ficar com ela sério eu teria que mudar muitas coisas no meu comportamento. Eu posso até me adaptar, mas mudar meu comportamento é algo que eu não vou simplesmente fazer. Se eu tiver que ficar com ela ou com qualquer outra, ela vai ter que se acostumar com o meu jeito. às vezes eu acho que ela quer que eu tome alguma iniciativa ou coisa assim, mas não adianta. Eu não adivinho pensamentos. E então a gente continua na mesma enrolação de sempre…

Uma coisa legal é que eu já tou fazendo Auto-Escola. É isso mesmo eu estou a prendendo a dirigir! Por enquanto são só aulas teóricas mas eu já tou cuidando da documentação necessária e eu espero que em breve eu posso começar as aulas práticas!

Recomendo que vocês visitem o Blog “Fênix“, que fala sobre o serriado Small Ville(Aquele do superboy) e sobre como as emissoras de tv desrespeitam os fãs desses seriados. Passe também no “Legado do andarilho“, que tá falando sobre a primeira apresentação da Falange. Afinal a gente tá praticamente só pensando nisso!

E>Carpe Diem!<3
Captare

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s